Após um bate papo de 40 minutos com o Marilyn Manson, escolhemos separar a enorme quantidade de diálogo em quatro posts separados. Finalmente, após escutar a gravação várias vezes e transcrever durante horas, estamos felizes de apresentar a vocês a quarta e última parte da nossa entrevista com o ícone do rock.

Vindo da nossa parte da discussão onde Manson fala profundamente sobre a culpa que colocaram nele após vários eventos horríveis, como Columbine, e como ele usou o conceito do vilão sempre sendo o catalista da mudança, chegamos ao tópico do West Memphis Three. Para aqueles que não conhecem Damien Echols, Jason Baldwin e Jesse Misskelley, os três foram soltos recentemente da prisão, após 18 anos, por assassinato que muitos acreditam que os três cometeram.

Entre várias celebridades que patrocinaram a libertação de Echols, Baldwin e Misskelley, Marilyn Manson certamente foi o mais presente - até incluindo o tópico em seu discurso durante o Revolver Golden Gods Awards 2012.

Por favor, desfrute a parte final de nossa entrevista exclusiva com o Marilyn Manson:

Após ser culpado por tragédias como Columbine, você vê artistas nos dias de hoje recebendo um tratamento semelhante quando algo ruim acontece?

Bem, pela primeira vez na minha vida, noite passada, conheci o Damien Echols [do West Memphis Three]. Fiz um quadro para ajudar a pagar suas taxas legais, Johnny Depp, ele e eu viramos o que chamamos, e soa um pouco... em retrospecto... se você morou em West Hollywood, soa um pouco não-masculino, mas o West Hollywood Three. O Johnny sempre tentou ajudá-lo [Damien] e ele está ficando com o Johnny e nós três temos uma grande ligação. Fizemos tatuagens que se ligam. Não o conhecia pessoalmente até noite passada e pra mim foi humilde. Qualquer conflito ou adversidade que eu tenha passado não se compara ao que ele passou. E eu esperei, essencialmente, 18 anos para conhecer esse cara e eu o conheci ontem à noite [8 de Abril].

Johnny também passou por várias coisas na vida e eu estava na 21 Jump Street quando tinha 19 anos - isso é engraçado, ninguém sabe que eu fiz figuração. Então eu conheço o Johnny há anos e nunca havíamos feito músicas juntos, e gravamos a cover da You're So Vain. Não fala pra ninguém, mas eu e o Johnny temos ensaiado porque ele vai tocar comigo ao vivo [No Revolver Golden Gods Awards 2012]. Não quero que ninguém saiba isso porque vai estragar a surpresa e eu vou te caçar e cortar seu pau fora (risos).

[Nota do autor: Por pedido do Manson, guardamos o segredo até o Depp entrar no palco no Golden Gods -- e, felizmente, posso dizer que minha virilidade está intacta].

Os dois últimos dias da minha vida foram bem excitantes - Johnny Depp ensaiando com a minha banda porque queremos fazer algo juntos ao vivo. Conheço ele há anos e ele começou sua banda, The Kids, em Ft. Lauderdale. Eu tinha uma banda, Marilyn Manson & the Spooky Kids em Ft. Lauderdale. É estranho que eu o conheça todos esses anos e nunca tenhamos feito música juntos. É legal que tenhamos feito a cover da You're So Vain. Fizemos juntos e é divertido que ela se aplique em nós no sentido de todos que nos rondaram no passado.

Ele e eu e o Damien, de diferentes maneiras, são figuras conhecidas, e todos, em diferentes maneiras, estão passando por uma mudança de vida; todos, em diferentes maneiras, olhamos para a vida pelo olhos de alguém que não está cansado; todos, em diferentes maneiras, estão pensando que eles são donos de algo de nós ou que eles saibam algo sobre nós, mas eles não sabem, e nós sendo considerados subjulgados por nos sentirmos libertados, pelo fato de que somos aptos a enfrentar isso.

Então essa tem sido minha espinha dorsal para a maioria das coisas; que eu estive apto a ter caras como amigos que não sejam os membros da minha banda, mas amigos que tem passado por muita merda. Merda diferente. Todos nós passamos por merdas diferentes, e é estranho porque todos nós achamos que passamos pelo pior. Isso que é incomum. Sinto como todos nós dizemos, "Não passei pelo que você passou." Sempre dizemos isso um ao outro e é uma experiência interessante e humilde e é algo que você realmente leva para o túmulo.

Quando eu ouvi que o West Memphis Three finalmente havia saido da prisão, eu quase chorei...

Eu chorei. Eu chorei, cara. Digo, aquele filme [Paradise Lost] me faz chorar. Quando o vi pela primeira vez ontem à noite, foi tipo um irmão. Senti como se o conhecesse há anos. Conversei com ele pelo telefone por um anos, mas nunca havia o conhecido pessoalmente. Parecia que eu já o conhecia minha vida inteira. Ele é forte. Ele passou por muita coisa. É engraçado porque estávamos tendo uma simples conversa que ele ainda estava maravilhado de que ele poderia mandar um e-mail pelo iPhone. Johnny e eu dissemos, "Bem, hey, estamos no mesmo barco, acabamos de descobrir isso também." (risos) A animação infantil de olhar para o mundo está bem viva em mim e nos meus amigos. Por esse único motivo que eu consegui fazer um disco que está 100% ligado à minha personalidade.

Tive muita gente sentada na sala quando eu cantava. Os vocais foram gravados uma única vez, normalmente. Sabe, claro que há mais de um vocal às vezes. É diferente de cantar ao vivo porque você já gravou o disco e as pessoas estão ali para te ver. É uma situação totalmente diferente quando você usa fones de ouvido, há outra pessoa sentada ali, olhando para você e tudo que ela ouve é sua voz. É pior que... Poderia ser pior que ler um livro em frente a uma classe inteira. Ao invés disso, levei isso com um desafio. Você cresce mais para a ocasião.

Então eu tive que ser melhor em ser divertido, ser interessante ou ser provocador ou qualquer porra que eu estivesse fazendo, sabe? Eu estava tentando fazer músicas que fariam as pessoas sentirem algo. Às vezes era... Frequentemente no sentido não rock n' roll não-clichê, mas às vezes clichê, que eu estava tentando deixar as garotas excitadas com o que eu estava fazendo (risos). É bem difícil perceber o que é atraente em você. Não percebia que algumas coisas que eu fiquei de saco cheio, na mesma forma de quando você mora em uma casa e está de saco cheio de olhar para a mobília do jeito que ela é, ou o que quer que seja - Eu não percebia as coisas que as pessoas achavam atraentes sobre o que eu fazia enquanto um cantor.

Então eu pediria a opinião das pessoas e isso gravitaria em algo e uma música tipo The Gardener - originalmente eu fiz aquela versão falada... Eu só ia fazer isso porque eu queria gravar as palavras, porque eu as tinha na minha cabeça, então eu gravei, e eu voltei e ia cantar. Ninguém havia ouvido a versão falada dela e todos adoraram, então não a refiz. Não sabia que seria algo que atrairia as pessoas, e percebo agora que se eu tivesse o sendo comum de pensar que eu comecei, antes de ter uma banda, eu... E nem tenho vergonha de dizer... que eu lia poesia.

O que quer que seja, e eu não vou questionar, se as pessoas gostaram do que eu faço quando eu falo, então eu vou fazer. Por isso que eu fiz muito disso no disco, e me diverti fazendo, e sabia que ter múltiplas personalidades, tenho certeza... (risos). Não tenho certeza de quantas, mas provavelmente mais do que eu preciso - tendo a ir em diferentes... não personagens, mas eu falo de maneiras incomuns no disco e é divertido para mim fazer isso, mas não é para ser comédia, é pra ser o que é pra ser. Você pode sentir o que quiser sobre o disco, no entanto que você goste.

Acho que é um jeito ótimo de começar The Gardener, e realmente faz meu coração ficar bem sabendo que o Damien está ok. Eu li o livro dele, Almost Home, eu escrevi cartas pra ele quando ele estava na prisão, obrigado por compartilhar isso.

É, quero dizer, ele é ótimo. Vamos fazer um vídeo para a Hey, Cruel World.... Que é para acontecer hoje [8 de Abril]. Acho que ele se identifica muito com aquela música. Estou ansioso para isso, e acho que é ótimo que você tenha um sentimento forte por esses filmes, porque para mim, ser parte da ajuda para ele sair daquela situação, me faz sentir que eu fiz algo realmente bom na vida. De uma maneira diferente, eu estava na minha própria prisão. Tive diferentes amigos que acreditaram em mim. Claro que não é a mesma coisa, mas em diferentes maneiras é como nos identificamos um com o outro.

 

Leia a primeira, segunda e terceira parte da entrevista.

 

O site da revista NME postou recentemente uma entrevista com o Manson, onde ele fala sobre o Born Villain e sobre ser ou não um artista que gosta de chocar as pessoas. Assista abaixo ao vídeo, que está legendado!

A gravadora LAB 344, representante da Cooking Vinyl no Brasil, havia informado que a edição nacional do Born Villain sairia em Junho no Brasil, mas parece que isso acontecerá antes! Os sites das lojas Saraiva e Livraria Cultura já estão fazendo a pré-venda do disco, com lançamento previsto para o dia 11 (Livraria Cultura) e 18 (Saraiva) de Maio! Para fazer a reserva, é só clicar aqui ou aqui para acessar os sites respectivamente. O preço é o mesmo em ambas as lojas: 34,90. A tracklist contém a cover You're So Vain como faixa bônus!

Informaremos qualquer mudança na data de lançamento.

 

O show de ontem foi em Montclair, Nova Jersey. Setlist segue o mesmo.

1. Hey, Cruel World...
2. Disposable Teens
3. The Love Song
4. No Reflection
5. mOBSCENE
6. The Dope Show
7. Slo-Mo-Tion
8. Rock is Dead
9. Personal Jesus
10. Pistol Whipped
11. Tourniquet
12. Irresponsible Hate Anthem
13. Sweet Dreams (Are Made of This)
14. Antichrist Superstar
15. The Beautiful People

Hey, Cruel World...

Antichrist Superstar

 
The Beautiful People
 
 

O show de ontem foi em Silver Spring, Maryland. Setlist segue o mesmo.

1. Hey, Cruel World...
2. Disposable Teens
3. The Love Song
4. No Reflection
5. mOBSCENE
6. The Dope Show
7. Slo-Mo-Tion
8. Rock is Dead
9. Personal Jesus
10. Pistol Whipped
11. Tourniquet
12. Irresponsible Hate Anthem
13. Sweet Dreams (Are Made of This)
14. Antichrist Superstar
15. The Beautiful People

     

Hey, Cruel World...

mOBSCENE

Personal Jesus

Tourniquet

Antichrist Superstar

The Beautiful People

página: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | 45 | 46 | 47 | 48 | 49 | 50 | 51 | 52 | 53 | 54 | 55 | 56 | 57 | 58 | 59 | 60 | 61 | 62 | 63 | 64 | 65 | 66 | 67 | 68 | 69 | 70 | 71 | 72 | 73 | 74 | 75 | 76 | 77 | 78 | 79 | 80 | 81 | 82 | 83 | 84 | 85 | 86 | 87 | 88 | 89 | 90 | 91 | 92 | 93 | 94 | 95 | 96 | 97 | 98 | 99 | 100 | 101 | 102 | 103 | 104 | 105 | 106 | 107 | 108 | 109 | 110 | 111 | 112 | 113 | 114 | 115 | 116 | 117 | 118 | 119 | 120 | 121 | 122 | 123 | 124 | 125 | 126 | 127 | 128 | 129 | 130 | 131 | 132 | 133 | 134 | 135 | 136 | 137 | 138 | 139 | 140 | 141 | 142 | 143 | 144 | 145 | 146 | 147 | 148 | 149 | 150 | 151 | 152 | 153 | 154 | 155 | 156 | 157 | 158 | 159 | 160 | 161 | 162 | 163 | 164 | 165 | 166 | 167 | 168 | 169 | 170 | 171 | 172 | 173 | 174 | 175 | 176 | 177 | 178 | 179 | 180 | 181 | 182 | 183 | 184 | 185 | 186 | 187 | 188 | 189 | 190 | 191 | 192 | 193 | 194 | 195 | 196 | 197 | 198 | 199 | 200 | 201 | 202 | 203 | 204 | 205 | 206 | 207 | 208 | 209 | 210 | 211 | 212 | 213 | 214 | 215 | 216 | 217 | 218 | 219 | 220 | 221 | 222 | 223 | 224 | 225 | 226 | 227 | 228 | 229 | 230 | 231 | 232 | 233 | 234 | 235 | 236 | 237 | 238 | 239 | 240 | 241 | 242 | 243 | 244 | 245 | 246 | 247 | 248 | 249 | 250 | 251 | 252 | 253 | 254 | 255 | 256 | 257 | 258 | 259 | 260 | 261 | 262 | 263 | 264 | 265 | 266 | 267 | 268 | 269 | 270 | 271 | 272 | 273 | 274 | 275 | 276 |









10.01 @ Van Buren
12.01 @ House of Blues
13.01 @ House of Blues
16.01 @ Fox Theatre
19.01 @ The Complex
20.01 @ Fillmore
23.01 @ Aztec Theatre
24.01 @ House of Blues
26.01 @ Shrine Mosque
27.01 @ Brady Theatre
[ ver mais ]

KILL4MESAY10We Know Where You Fucking LiveMarilyn Manson - Prêmio de Ícone pela Alternative Press (2016) Third Day of a Seven Day BingeThe Mephistopheles of Los Angeles


ver +

facebook.com/marilynmanson
marilynmanson.com
twitter.com/marilynmanson


2008 - 2017 ® Marilyn Manson Brasil | Todos os Direitos Reservados